quinta-feira, 28 de julho de 2011

Degust -1 - "Sombrios" - Marjory Tolentino





“E das sombras ergueu-se um ser desforme, que nem homem era, nem demônio era. Como o suave roçar da brisa nas frágeis pétalas das tulipas do jardim, ela pode sentir seu toque apesar da distância. Um abraço gélido a perfumou com o cheiro de sangue e morte já conhecidos.
Seus olhos frios eram reconhecíveis, e transmitiam um sentimento mais quente que a paixão. Não lutaria, não fugiria... A ele entregaria a alma, nele depositaria a vida, pois já sabia que a ele, pertencia!”

Pesquisar neste Blog