sábado, 2 de novembro de 2013

001 - Merrian - "Sombrios" - Marjory Tolentino



"Sinto falta do que não tive.
Saudades daquela que não conheci.
Meu coração sofre por um amor não vivido.
Perco-me em um oceano de sentidos, onde meus sentimentos se confundem e vagueiam entre pessoas estranhas, com estranhos desejos e as quais estranho sou eu.
Este lugar... Sufoco nesta época a qual não pertenço. Sufoco com a falta do toque em que a profundidade é rasa demais para ser sentido e por isso me vejo obrigado a ignorá-lo.
Os dias me torturam ao passo que tento ser quem não sou. E se arrisco mostrar o meu âmago, sofro ao perceber que ninguém é capaz de me atingir. Até quando suportarei viver neste mundo à margem de todos? Até quando suportarei a solidão sufocar-me? Solidão, este monstro que me persegue, quimera dos que não se conhecem e se buscam vorazmente.
Devem existir outros... A alma não pode ter sido criada para passar pela eternidade sozinha. Onde se encontra minha outra, aquela que tem como destino me pertencer. Aquela que onde esteja sente o que eu sinto. Vagando entre as pessoas a procura daquele que desconhece... Vagando entre vivos, como eles, mas de coração morto.
Onde está, e por que não me encontra? Onde estou, e por que não a encontro?
Não nos vemos? Não me sente? Porque a sinto a cada dolorosa aspiração que este corpo se obriga a executar.
Sua falta me dilacera por dentro, como um verme que se enrijece alimentando-se de minhas entranhas. É a dor da distancia que a própria distancia causa em você, refletindo em mim a saudade que sente daquele que ama, mas não pode ter."

Pesquisar neste Blog